O Guia Passo A Passo Pra Formar Um Funil De Vendas No Facebook

Confira Dicas Para Gestores Jovens Gerir Subordinados Mais Velhos


6 Violação das regras do Wikipedia? 10 Só uma ligeira análise. Foi decidido na votação que deve ter um foco com intenção de lembrar que Portugal é uma república mas falta definir o texto deste foco que podes ser até um pequeno paragrafo no inicio do verbete. Aguardo a opinião dos interessados.


Isto está lá referido. A Casa de Bragança foi a mais relevante do Reino de Portugal. Primeiramente Ducal, a Residência viria a reinar em Portugal após a restauração da autonomia em um de Dezembro de 1640. Com a colocação da República em Portugal, a Moradia Real de Bragança foi extinta. Não obstante já reformulei (o texto que acrescentei está a negrito): A Residência de Bragança foi a mais primordial do Reino de Portugal. Inicialmente Ducal, a Residência viria a reinar em Portugal após a restauração da autonomia em um de Dezembro de 1640. Com a colocação da República em Portugal, que se mantém até hoje, a Moradia Real de Bragança foi extinta.


Grato. Pcjrm (conversa) 21h18min de 31 de Julho de 2008 (UTC) Acho que o que foi extinto não é a moradia real, mas sim o governo monárquico. A "residência real" (ou simplesmente "família", se preferir) existe até hoje, seja por descendentes diretos, indiretos ou alegadamente diretos. 14h32min de um de Agosto de 2008 (UTC) Isso está referido, Com a implantação da República em Portugal, que se mantém até hoje, a Moradia Real de Bragança foi sentenciada extinta. Eu me interesso sobre isto D.Manuel, não sabia que existe essa dúvida a respeito de Bragança e Bragança-Wettin. Nesse lugar no Brasil também possui descendentes de D.Pedro II, e no momento em que do plebiscito a respeito de regime de governo Monarquia ou República, Presidencialismo ou Parlamentarismo, estes "herdeiros de D.Pedro II" fizeram muito som, contudo, é claro, vocês sabem, adquiriu Républica e Presidencialismo.



  • 12 Itarana 12.Um Resposta do Jo Lorib

  • 22: Quais seus planos pra hoje a noite

  • Valeria disse: 24/07/12 ás 13:Trinta e três

  • Ericatarina (discussão) 15h53min de 4 de maio de 2015 (UTC)

  • Diários Oficiais

  • 1- Obediência é fundamental

  • Infraestrutura dos postagens



Sou novo na Wiki e nunca participei de votação nenhuma entretanto como vi a conversa anterior à criação desta conversa, apoio essa iniciativa. http://sitesobreseuestilo70.iktogo.com/post/como-colocar-meu-web-site-na-primeira-pgina-do-google não sei como amparar. Caros Wikipedistas, cortei outras “pretenções” e ”auto-denominações” (a meu observar um tanto tendenciosas) em conexão a D. Duarte Pio de Bragança. Evidentemente, para a República, nenhum dos títulos nobiliárquicos existe, mas o Senhor D. Duarte não “reivindica” http://boadieta9.beep.com/.htm?nocache=1530668400 de Bragança, nem ao menos se “auto-denomina” Príncipe da Beira; esses títulos são-lhe reconhecidos pelas corporações monárquicas!



Chamar “rainha-deposta” à D. Amélia é simplesmente um erro, pelo fácil facto que nunca reinou. http://dicasmaissobreinternet3.jiliblog.com/14680224/sem-grana-pra-viajar-no-carnaval identificá-la como “rainha-viúva”, se nos referirmos a D. Carlos, ou como “rainha-mãe” em ligação a D. Manuel II, este sim rei-deposto. Sejamos factuais independentemente das nossas simpatias. Caro usuário, foi decidido pela comunidade, em Wikipedia:Votações/Dúvida dinástica portuguesa e em Wikipedia:Pedidos de opinião/Dúvida dinástica portuguesa, que os títulos sejam referidos como reivindicados, independentemente de serem conhecidos pelas instituições monárquicas. E igualmente referiu, Portugal é uma República, logo os títulos precisam ser referidos como reivindicados. Contudo não poderei aceitar que se refira D. Duarte como "auto-denominado" Príncipe da Beira! Cumprimentos Espadeiro (conversa) 09h54min de 5 de Agosto de 2008 (UTC) Compreendo e o Tonyjeff neste momento tratou de modificar de forma a permanecer tudo bem.


Pcjrm (discussão) 11h18min de cinco de Agosto de 2008 (UTC) Caros Utilizadores, acho que está bem neste instante, imagino que "pretendente ao título" de príncipe da Beira pode ser uma circunstância de consenso. Srs administradores é necessário rever a falsa ideia de que Duarte Pio goza de reoconhecimento do Estado Português. Nuno da Camara Pereira pergunta dinástica.


https://www.evernote.com/shard/s364/sh/a55e58bd-bde0-411d-a4b3-b7eca9cc37ef/70df9094b85e846287ea1881939ae0b6 , os web sites que exibe não têm cada validade. Rússia, onde a Família Imperial foi fisicamente eliminada (no entanto subsistem parentes colaterais). Contudo transmite esse direito! Não ocorre frequentemente pessoas herdarem directamente de avós (através de pais falecidos!), de irmãos, de tios? D. Sebastião herdou o trono do avô; D. Henrique herdou do sobrinho-neto; D. Manuel I de um primo!


Há afirmações que evidenciam não perceber os regulamentos da sucessão dinástica! Henrique IV, de França, herdou de um primo afastado, por ser o seguinte na linha da sucessão (com a Lei Sálica) através da tua descendência de São Luis! Não há qualquer dúvida de que, a existir Monarquia em Portugal, os direitos recaem na pessoa do Senhor D. Duarte Pio de Bragança, conhecido pelos monárquicos portugueses e por todas as Casas Reais da Europa.


E se quer conferir algo, apresente referências credíveis, e não sites e sites de propaganda política. Faço minhas as palavra do Tonyjeff e do Espadeiro. O Sr. Bragança, não tem ponta por onde se lhe pegue pela pergunta da sucessão dinástica e não tente atirar areia nos olhos das pessoas. Contudo há mais Duarte Nuno era primo em 6º grau de D. Manuel II, por tanto há face da lei nem ao menos era parente, tinha em sua frente sem descrever com SAR. D. Maria Pia nada mais nada menos que 36 primos e 6 tias.


Se se atender à alegação falaciosa de Augusto Ferreira do Amaral, ainda assim sendo os direitos iriam recair a respeito da tia de Duarte Pio D. Adelaide Van Uden e nunca sobre Duarte Pio. Mais o Sr. Duarte de Bragança incorporou-se voluntáriamente pela Força Aérea portuguesa tendo jurado voluntáriamente bandeira, ao inverso de alguns monarquicos que tendo servido o exercito recusaram jurar bandeira, alguns deles colegas do Sr. Bragança dos Pupilos do Exercito. Ao jurar bandeira jurou considerar a constituição, tornou-se um cidadão comum sem quaisquer direitos dinásticos. http://tecnicascuidese0.iktogo.com/post/como-ampliar-trfegovisitas-sem-qualquer-custo-no-seu-site reifazdeconta (conversa) 09h44min de um de Setembro de 2008 (UTC) Caro senhor, Não quero entrar em confrontos directos, muito menos nestes temos.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *